Para uma aproximação do lugar de fala na ‘marca’ Adília Lopes 30 de xuño de 2021

Visto 13 veces

Para uma aproximação do lugar de fala na ‘marca’ Adília Lopes

Conferência

Constituindo-se como lugar de fala privilegiado social, económica e culturalmente, a “marca Adília” apela para a necessidade de se tomar em conta visões parciais, instáveis, contraditórias ou múltiplas do sujeito lírico que confronta a morte e a perda. A análise atem-se a textos incluídos em Estar em casa, com algumas incursões noutros livros da autora que conjuram fantasmas da memória cultural portuguesa dos anos 60. Os poemas que privilegiamos provocam a reflexão, o questionamento, o incómodo relativamente à tentação de recuperar um tempo-espaço passado isento da perda, da injustiça e da dor. E não apenas da dor pessoal do sujeito lírico, mas a daqueles que escreve e cuja memória silenciosa, invisível, traz à tona em gestos de memória que
Svetlana Boym consideraria como “nostalgia refletiva”, de teor libertador.

Fonte: https://adilialopes.webs.uvigo.gal

Presenta: Joana Meirim
Investigadora e professora, Universidade Católica Portuguesa e investigadora do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura (CECC)
Ana Paula Ferreira
University of Minnesota

Vídeos da mesma serie
Abertura do Colóquio
30 de xuño de 2021
Questões. Mesa 1
30 de xuño de 2021
Adília vai à escola
Conferência
30 de xuño de 2021
Adília Lopes e o intratável
Conferência
30 de xuño de 2021
Questões. Mesa 3
30 de xuño de 2021
Questões. Mesa 4
30 de xuño de 2021
Sobre a pluralidade de S/Z
Conferência
1 de xul. de 2021
Questões. Mesa 5
1 de xul. de 2021
Nem a Adília Lopes é a Adília Lopes
Conferência
1 de xul. de 2021
Questões. Mesa 6
23 de ago. de 2021
Questões. Mesa 7
1 de xul. de 2021
Questões. Mesa 8
1 de xul. de 2021
Fazer pausas
Conferência
2 de xul. de 2021
Questões. Mesa 9
2 de xul. de 2021
Questões. Mesa 10
2 de xul. de 2021